fbpx

Aumento dos seios favorece autoestima e sexualidade da mulher

A mamoplastia de aumento é a intervenção estética mais popular do país, correspondendo a 21% dos procedimentos realizados pelos membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. No ranking nacional, é o segundo procedimento mais procurado pelas brasileiras, perdendo apenas para a lipoaspiração.

Segundo o médico Eduardo Braga, o conceito de beleza nacional exalta mulheres com seios maiores, o que movimenta as clínicas de estética. “As normas de beleza variam entre as diferentes culturas. No nosso país, a cirurgia do aumento das mamas é muito bem-aceita pela sociedade.”

São muitos os motivos que levam a mulher até o consultório de um profissional para realizar uma cirurgia plástica, mas a insatisfação com as formas corporais ainda é o principal deles. Além dos benefícios estéticos que os procedimentos proporcionam, médicos que acompanham suas pacientes no pós-operatório registram relatos de melhora na vida sexual. Há casos, inclusive, de aumento na frequência das relações, praticadas com mais qualidade e satisfação.

“Mulheres que se submetem à mamoplastia de aumento têm sua autoestima e confiança elevadas, favorecendo relações interpessoais e a sexualidade. O procedimento inibe sentimentos de inferioridade e beneficia a saúde psicossocial da paciente”, acrescenta Braga.

O especialista ressalta que, como toda intervenção cirúrgica, a mamoplastia envolve cuidados pré e pós-operatórios. “Por isso, é importante cautela e discernimento na escolha de uma equipe especializada. As próteses evoluíram nos últimos anos e, atualmente, são dispositivos estáveis e seguros”, indica.

De acordo com o médico, o bom senso conta muito no momento de escolher o tamanho das próteses. “As mulheres precisam se conscientizar de que nem tudo que fica bom nas modelos, atrizes e personalidades da TV funcionará para elas. Quando o especialista sugere o tamanho das próteses, vários aspectos do corpo da paciente são levados em consideração para que o resultado seja harmonioso, sem que a saúde fique comprometida”, afirma.