Cervejas sobreviveriam a uma bomba atômica, confirma governo americano

No caso de uma explosão atômica, ainda poderíamos beber cervejas? A resposta é sim – e elas substituiriam a água potável, de acordo com estudo divulgado em 1957 pelo governo dos Estados Unidos.

Após os bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaki, em 1945, a disseminação destas armas se intensificou pelo mundo. Com isso, o clima era de grande apreensão: a qualquer momento, poderia haver um holocausto nuclear.

Neste contexto, pesquisadores americanos realizaram experimentos para descobrir como sobreviver à radiação. O mais curioso foi a detonação de duas bombas atômicas em Nevada, em 1956, para avaliar se elas tornariam as cervejas e os refrigerantes impróprios para consumo. As “cobaias” eram posicionadas de várias formas: expostas, em abrigos subterrâneos e dentro de armários.

As explosões – equivalentes a mais de 20 toneladas de TNT – foram suficientes para tornar as bebidas um pouco radioativas. Porém, elas ainda poderiam ser ingeridas sem maiores preocupações. O sabor, naturalmente, mudou um pouco, deixando de ser refrescante e se tornando ligeiramente estranho.

Agora, você tem mais um bom motivo para guardar cervejas em casa. 😉