Cinquenta motoqueiros escoltam vítima de bullying à escola

Todos os dias, um em cada dez estudantes brasileiros é vítima de bullying. Nos Estados Unidos, esse número sobe para um em cada cinco.

Dentro dessas estatísticas, está o pequeno Phil Mick (11). Violência física e apelidos constrangedores faziam parte da sua rotina, devido ao seu peso e suas condições financeiras. As marcas vão muito além de hematomas: com o tempo, o garotinho começou a apresentar pensamentos suicidas.

Por mais de um ano, ele escondeu este problema da sua família. Quando sua mãe, Tammy, enfim descobriu o que se passava, decidiu que o garoto não deveria lidar com isso sozinho.

Caminhos cruzados

Em dezembro passado, a organização United Motorcycle Enthusiasts promoveu um evento de Natal voltado a famílias de baixa renda. Na ocasião, a família Mick conheceu o mecânico Brent Warfield, que presentou Phil com uma bicicleta.

Tammy aproveitou a oportunidade para contar a Brent sobre as dificuldades que seu filho vivenciava. Como resposta, ouviu: “Deixe comigo. Tenho um grupo de amigos de coração generoso. Eles poderão ajudar”.

O grande plano

Brent convocou, pelo seu perfil no Facebook, o maior número possível de motoqueiros para acompanhar Phil em seu primeiro dia de aula. O ponto de encontro era o Richard’s Restaurant, às 7 da manhã de 1º de agosto.

Na data marcada, mais de 50 pessoas aguardavam e vibravam por Phil.

Na garupa de uma Victory Cross Country, o garotinho teve uma entrada triunfante na escola. O diretor, Matt Vince, relembrou que era impossível ignorar o ruído ensurdecedor das motos. Conforme elas se aproximavam, as paredes de tijolos chegavam a estremecer.

“Precisamos de mais pessoas que encarem e desafiem o bullying. Estes homens fizeram isso de forma positiva”, elogiou Matt.

Tammy compara Brent a um anjo. “Phil estava só sorrisos durante toda a manhã. Recomendo isto para toda criança vítima de provocações dos seus coleguinhas.”

Você conhece alguém que precisa de ajuda?

Seus ouvidos são de grande ajuda para uma criança que está sofrendo agressões físicas ou psicológicas.

Acima de tudo, mantenha a calma e seja compreensivo. Ouça com atenção todas as palavras da vítima, sem julgamentos ou repreensões.

Se o ambiente do bullying for uma instituição de ensino, os professores, coordenadores e diretores poderão tomar as providências necessárias. Já na internet, você pode imprimir o conteúdo ofensivo (inclusive mensagens, e-mails, postagens e fotos) e preencher um boletim de ocorrência numa delegacia da Polícia Civil. Em seguida, solicite a remoção do material ao provedor de serviços.