Envelhecimento precoce pode esconder idade real

Com o avanço da idade, há um descenso das estruturas do corpo. Perde-se volume facial e elasticidade da pele, levando à formação de rugas e sulcos profundos. São sinais de cansaço e envelhecimento que nem sempre correspondem à idade real, prejudicando a autoestima e a saúde mental da pessoa.

A boa notícia é que há soluções eficazes na medicina contra o envelhecimento precoce, como os tratamentos que reposicionam as estruturas, melhoram a flacidez cutânea e amenizam rugas e sulcos, resgatando aspectos joviais do rosto.

O cirurgião plástico Eduardo Braga orienta, contudo, que, antes de se optar por um procedimento, deve-se ponderar sobre qual é o mais adequado para o momento, levando-se em conta fatores como recuperação pós-operatória, investimento financeiro e o prazo de duração dos resultados (procedimentos de curta ou longa durabilidade).

Entre os tratamentos, Braga destaca o lifting facial – técnica cirúrgica que promove um levantamento do rosto, ameniza consideravelmente os vincos, resgata e aprimora os contornos faciais -, e os não cirúrgicos, como as injeções de toxina botulínica e preenchimento cutâneo.

Lifting é uma palavra derivada do verbo americano lift, que significa levantar. A técnica é utilizada quando os tecidos precisam ser reacomodados aos seus lugares de origem. O lifting facial, por exemplo, pode melhorar a área das pálpebras, reposicionar sobrancelhas, melhorar a flacidez do pescoço, contorno mandibular e volume facial. O especialista indica alguns fatores que podem auxiliar no momento da decisão:

Recuperação

Se o paciente optar pela cirurgia plástica, precisará de tempo de recuperação no pós-operatório. Por isso, na impossibilidade de disponibilizar esse tempo, o ideal é o tratamento não cirúrgico, com tempo mínimo de reestabelecimento.

Duração dos resultados

Um dos principais benefícios dos procedimentos cirúrgicos é que trazem resultados duradouros, enquanto procedimentos minimamente invasivos tendem a ser temporários.

Mudança radical

Embora exista um desejo por resultados naturais, os efeitos das cirurgias plásticas serão sempre mais evidentes e notados do que os de procedimentos menos invasivos. Portanto, se o objetivo for pequenas mudanças que passem desapercebidas, os procedimentos minimamente invasivos são mais indicados. Por outro lado, quando se aspira uma mudança maior e mais efetiva, a cirurgia é a melhor opção.

Mais assuntos relacionados