Intercâmbios profissionais ganham espaço diante da demanda do mercado por vivência no exterior e fluência em língua estrangeira

Foi-se o tempo em que intercâmbio era exclusivamente uma experiência cultural para jovens do ensino médio que buscam viver momentos inesquecíveis longe de casa, amadurecer e adquirir conhecimentos em uma nova língua. Diante de um acirrado mercado de trabalho, a procura pelo intercâmbio profissional é uma prática cada vez mais comum. Na Experimento Intercâmbio Cultural, empresa que integra o Grupo Monções, a busca por viagens do tipo registrou aumento de 25%.

“Investir na formação em outro país é um dos principais objetivos dos profissionais de diversas áreas e, com planejamento e estratégia, é perfeitamente possível atingi-lo”, revelou Nathalia Sandoval, gerente expert em intercâmbio.

Voltado para pessoas de diferentes idades e níveis hierárquicos, não há uma fórmula do sucesso na escolha do curso correto ou do momento adequado. O importante é planejar, financeiramente e profissionalmente, a hora exata para a empreitada: “Tanto cursos profissionalizantes quanto a pós-graduação são diferenciais que podem determinar o rumo de uma carreira. Depende do momento vivido pelo intercambista e o que ele almeja para si”, contou Nathália.

O programa profissionalizante mais procurado na Experimento Intercâmbio Cultural são os cursos de curta duração, nas áreas de negócios, liderança e marketing. Os cursos possuem duração de um mês, por exemplo. As escolas e universidades têm vários pré-requisitos, mas algumas exigem, no mínimo, o nível intermediário de inglês para poder frequentar as aulas.

O destino favorito dos brasileiros é o Canadá, seguido da Austrália e Nova Zelândia. Além das excelentes instituições de ensino para todos os níveis, estes países apresentam outras vantagens como o custo de vida mais baixo se comparado a destinos europeus, por exemplo.

Obrigatório, o diploma da faculdade já não carrega mais o mesmo peso de antes e um intercâmbio profissional pode ser a chave para voos maiores. Com o cenário econômico atual, investir em um curso fora do Brasil surge como excelente alternativa para quem quer aproveitar o momento e apostar em uma especialização: “As empresas veem com bons olhos o intercâmbio profissional. As multinacionais chegam a exigir vivência no exterior. A oferta de emprego diminuiu e as pessoas qualificadas são as mais procuradas e também exigidas”, concluiu Nathália.