marketing digital para médicos

Sim, é possível fazer marketing digital médico de forma ética!

Algumas vezes, somos procurados por clínicas, institutos, consultórios e médicos autônomos que gostariam de saber: como usar as redes sociais para “bombar” na internet?

Vamos, primeiramente, ressaltar um ponto importantíssimo: nada pode infringir o Código de Ética Médica no que se relaciona à comunicação. Isso é indiscutível e inegociável.

Dito isso, o que pode ser feito para médicos usando as ferramentas do marketing digital?

Se você não o conhece, queremos apresentar este recurso totalmente fantástico.

Por um momento, esqueça que você é médico ou médica. Há alguns anos, se você tivesse um produto e quisesse anunciá-lo para uma grande quantidade de pessoas, seria necessário fazer uma propaganda em âmbito nacional.

Sabe quanto custaria uma inserção de 30 segundos num programa de domingo na maior emissora de televisão do país? Algo em torno de R$ 400 mil a R$ 500 mil. Agora, fica a pergunta: o que representava esse único comercial para o seu objetivo?

Nada. Era preciso, ainda, iniciar uma campanha em emissoras de tevê e rádio, jornais e revistas para conseguir alcançar todo o seu público-alvo.

E, se a meta não fosse atingida, a agência que trabalhava para você não conseguia auferir os resultados. As desculpas que ela dava eram totalmente inócuas.

Em comparação, o ambiente online proporciona:

  • direcionamento extremamente detalhado do seu público-alvo;
  • valores acessíveis para investimento em campanhas;
  • métricas que revelam em minúcias a repercussão de cada postagem.

Imagine que você, médico, tenha uma clínica de pneumologia. Você consegue determinar, por meio do marketing digital, cada característica do seu público. É possível colocar um pino em determinadas regiões geográficas e alcançar, praticamente, qualquer ponto do país (ou do mundo).

A seguir, molda-se o perfil das pessoas com quem você quer se comunicar. Qual a faixa etária? Quais as preferências? É possível especificar elementos de identificação como hábitos alimentares, lugares frequentados, países já visitados, pais recentes, gestantes… a lista é enorme.

Seu público está devidamente identificado? Ótimo! Agora, é hora de produzir o material.

Dentro desse exemplo de pneumologia, vamos pensar na época do inverno. Queremos direcionar mensagens somente para mulheres com mais de 50 anos. Assim, produziremos um texto, em forma de matéria jornalística, que aborda os riscos de saúde que as mulheres com mais de 50 anos correm durante o inverno.

Essa publicação chegará somente a esse grupo de pessoas. Não adianta enviá-lo a um jovem de 15 anos: o linguajar deve ser outro. Nesse caso, preparamos outro texto, focado no público mais jovem.

Esse é apenas um exemplo do marketing digital para médicos.

É um trabalho conjunto: você pode estabelecer-se no LinkedIn, Instagram, Facebook, Google, entre outras redes. Mas, acima de tudo, o essencial é entregar conteúdo de valor.

Mais assuntos relacionados