No Hospital do Ursinho, crianças fazem ‘papel de médico’ e cuidam de pacientes de pelúcia

Estudantes de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (FCMS) da PUC-SP promoveram, nos dias 4 e 5 de maio, uma simulação do Hospital do Ursinho com os alunos do Centro de Educação Infantil 15 “Profª Terezinha Lucas Fernandes” (CEI-15), de Sorocaba. A ação fez parte da campanha nacional da Federação Internacional das Associações de Estudantes de Medicina do Brasil (International Federation of Medical Students Association – IFMSA) que tem por objetivo familiarizar a criança com o ambiente hospitalar.

No Hospital do Ursinho, os alunos aprendem sobre as partes do corpo e a dinâmica de um hospital: da consulta, sala de exames e curativos passando pelas vacinas e, por último, a cirurgia. A consulta é a etapa mais importante do aprendizado, pois o estudante tem de estabelecer um vínculo com a criança, a fim de que, juntos, possam tratar o ursinho de pelúcia.

De acordo com Caroline Monasterio, aluna do 4º ano de Medicina e uma das coordenadoras locais do projeto, as dinâmicas visam diminuir o medo e a ansiedade da criança no ambiente hospitalar. “Simulamos a rotina de um hospital, na qual a criança, fazendo o papel do médico, depara-se com todas as etapas do atendimento enquanto explicamos, da maneira mais simples e didática possível, o porquê de cada processo.”

Segundo Caroline, esta ambientação é importante pois, caso a criança precise se submeter a algum procedimento, não passará por uma experiência traumática. “A ideia é acostumá-los a situações que, inevitavelmente, acontecerão. Durante a dinâmica, por exemplo, eles ‘aplicam’ vacina no ursinho e conversam com ele no intuito de acalmá-lo, explicando a importância do procedimento para a saúde”. Débora Rufo Spada, também aluna do 4º ano de Medicina, declarou: “A importância da ação para nós, estudantes de Medicina, está justamente nesta comunicação com as crianças, neste contato mais próximo, mostrando que nosso foco não é só a doença, mas a pessoa que está sendo tratada. Esta humanização é importante no processo de formação acadêmica e profissionalização médica”.

Ao final da atividade, as crianças receberam um “certificado de coragem” cujos dizeres eram “certificamos que (nome da criança) foi incrivelmente corajoso e responsável ao passar por todas as etapas do Hospital do Ursinho”.