Palestras no Hospital Santa Lucinda orientam sobre câncer de próstata

O Grupo de Trabalho de Humanização (GTH) e o Serviço de Educação Continuada (SEC) do Hospital Santa Lucinda (HSL) promoveram no último dia 9/11 duas palestras sobre câncer de próstata, em alusão à campanha Novembro Azul. O objetivo da ação foi aprimorar o conhecimento dos colaboradores do hospital, bem como conscientizá-los para a importância do diagnóstico precoce.

Conduziram os bate-papos o médico radiologista da Top Imagem, Danilo Sales, e o urologista do Hospital Santa Lucinda, Felipe Dini. Sales abordou o tema “Detecção precoce do câncer de próstata – vencendo o preconceito”, no qual alertou que um dos maiores desafios para combater a doença ainda é a resistência masculina em realizar o exame de toque retal. “Por incrível que pareça, ainda há rejeição ao exame. E isso só piora na véspera do mês de novembro, quando as piadinhas começam a aparecer nos grupos de WhatsApp e no Facebook”, disse.

Danilo lamenta que, em pleno século XXI, ainda existam homens que se recusam a ir ao consultório. “O toque retal aliado ao Antígeno Prostático Específico (PSA) é a forma mais acessível, fácil e eficaz de diagnóstico – seu percentual de precisão beira os 95%”, observou.

Felipe Dini, que discorreu sobre o tema “Câncer de próstata: tratamento cirúrgico e recuperação”, recordou que não existe prevenção à doença, o ideal é que ela seja descoberta cedo. “Alguns sinais indicam um possível tumor, como dificuldades para urinar, presença de sangue na urina e dor óssea. Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores as chances de cura completa.”

O médico explicou que os fatores de risco são idade acima de 50 anos, histórico familiar da doença (irmão ou pai já diagnosticados), tabagismo e consumo em excesso de gordura animal, entre outros. Ao final das palestras, o público participou de um sorteio de prêmios. O evento foi realizado no anfiteatro do hospital.

Mais assuntos relacionados