fbpx

Profissionais do Hospital Santa Lucinda encontram, na oração, forças para enfrentar a rotina do Centro Cirúrgico

Diariamente, durante alguns minutos, os médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, membros das equipes de administração e da limpeza e outros profissionais que trabalham nas áreas de apoio ao Centro Cirúrgico do Hospital Santa Lucinda (HSL) reúnem-se e dão as mãos. Ali mesmo, oram, agradecendo e pedindo proteção a Deus para o dia que está começando.

O grupo é heterogêneo em termos de religiões e doutrinas religiosas. Um exemplo é a técnica de enfermagem Carla Calheira Valadão, que há quase sete anos trabalha no HSL e é membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus. “Este momento de oração faz muita diferença, pois iniciamos o dia com mais paz e tranquilidade”, conta.

Tudo começou em 2008, quando a enfermeira Gracia Maria Garcia Silva, que está há 33 anos no HSL, foi transferida para o Centro Cirúrgico e recebeu algumas missões – dentre as quais, a de motivar as equipes. “Inspirei-me na seguinte frase de Jesus Cristo: ‘Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em Meu Nome, aí estou Eu no meio deles’ (Mateus 18:20)”, revela. Ela se recorda de que, a princípio, apenas os membros da equipe de enfermagem participavam das orações. Porém, gradativamente, outros profissionais também se juntaram a eles. No início de 2012, o grupo já estava bastante grande.

Para a professora Cibele Isaac Saad Rodrigues, coordenadora acadêmica do HSL, rezar ainda não está prescrito na literatura médica, mas a espiritualidade já figura no conceito de saúde da própria Organização Mundial de Saúde. “Nossos funcionários do Centro Cirúrgico, por iniciativa própria, oram antes de começar as atividades diárias porque acreditam no poder da oração e que suas preces têm o poder de aliviar a dor e o sofrimento dos enfermos assistidos no hospital”, pontua. “Fato é que a medicina não explica tudo, por mais avanços que tenhamos e, certamente, desejar com muita fé o bem de alguém, só pode ser bom”, completa.

Atualmente, Gracia ocupa a coordenação de enfermagem do Centro Cirúrgico e ainda é a principal articuladora e incentivadora para que esse momento se repita diariamente. “Abrimos com uma prece de agradecimento pela vida, pela saúde e pela oportunidade de estarmos aqui, servindo às pessoas. Pedimos a Deus sua proteção para cumprirmos esta missão”, explica. “Depois, rezamos a Oração do Pai Nosso e concluímos com a citação de Romanos 8:31: ‘Se Deus é por nós, quem será contra nós?’”.

Não são raras as vezes em que os pacientes que aguardam para serem submetidos às cirurgias ouvem e oram junto. Indagada sobre o que sente ao ver que a sua iniciativa acabou se tornando parte da rotina do Centro Cirúrgico do HSL, Gracia resume: “Meu sentimento é de realização”. 

    Faça um comentário: