fbpx

Pucalhaços são indicados à capacitação com os Doutores da Alegria

O grupo Pucalhaços, formado por alunos de Enfermagem e Medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (FCMS) da PUC-SP, foi indicado a obter uma capacitação com os Doutores da Alegria, pioneiros no Brasil a realizar visitas constantes nos hospitais. Por isso, eles têm de enfrentar três etapas do programa Palhaços em Rede, fornecedor dessa classificação.


A primeira fase aconteceu no último dia 10, quando os Pucalhaços foram observados pelo tutor do Palhaços em Rede, Raul Figueiredo, em uma visita ao Conjunto Hospitalar de Sorocaba. “O intuito é, dentro de uma hora, analisar o trabalho do grupo e verificar o cuidado com os pacientes, a higiene, o compromisso. Eu vim passar dicas, mas também estou aqui para aprender com os métodos que eles utilizam”, explicou.

Na segunda fase, no máximo dois participantes da equipe poderão ir a duas oficinas em São Paulo. A primeira ocorre nos dias 27 e 28 de outubro e consiste em exercícios e jogos de integração, parceria, base do improviso, entre outras atividades. Já a segunda oficina está marcada para os dias 8 e 9 de novembro, quando serão trabalhados conceitos sobre o palhaço, improviso com objetos, base da construção narrativa e feedback sobre observações de cada material do grupo. Por fim, depois de cada oficina, fazendo parte da terceira fase, os participantes visitarão uma dupla de palhaços do elenco dos Doutores da Alegria nos hospitais da capital.

Para Nicole Maldonado Giovanetti, representante dos Pucalhaços e aluna do 3° ano de Medicina, o grupo sempre tenta levar alegria, mas acaba recebendo muito mais em troca. “Ao ver o sorriso das pessoas e a interação delas conosco, temos a certeza de que já ganhamos o dia ali”, declara. Quanto à avaliação do programa Palhaços em Rede, idealizada pelos Doutores da Alegria, ela diz: “Eles são a nossa inspiração. É uma felicidade indescritível eles estarem nos olhando”, finaliza.

Sobre os Doutores da Alegria
É uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que, desde 1991, atua junto a crianças hospitalizadas, seus pais e profissionais de saúde. Em sua trajetória, a entidade já realizou mais de um milhão de visitas, com um elenco de cerca de 40 palhaços profissionais (não voluntários).