Nova lei cria política de atenção e combate ao câncer infantil

Em 9 de março, a Política Nacional de Atenção à Oncologia Pediátrica foi instituída em todo o país, após a Lei nº 14.308/22 ser sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. A proposta prevê aumentar os índices de sobrevida, melhorar a qualidade de vida e reduzir a mortalidade e o abandono ao tratamento das crianças e adolescentes com câncer, por meio de ações destinadas à prevenção, à detecção precoce e ao tratamento da doença, bem como à assistência social e aos cuidados paliativos.

Em Sorocaba, uma iniciativa neste sentido é promovida desde outubro de 2021, quando a ONG internacional Maple Tree Brasil e o Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil (Gpaci) se uniram para desenvolver o Maple Kids, programa inédito de exercícios físicos destinado a crianças em tratamento oncológico, com idades entre 5 e 12 anos. O município foi o primeiro em todo o mundo a oferecer esta atividade de forma presencial.

Diversos estudos indicam que a prática de exercícios físicos é segura e pode ser feita durante o tratamento do câncer, desde que a pessoa não tenha restrições. Mais do que uma terapia, manter-se fisicamente ativo melhora o desempenho físico, a qualidade de vida do paciente, o equilíbrio, a circulação sanguínea, a autoestima, o humor e os relacionamentos sociais.

Contudo, um programa de exercícios físicos deve ser elaborado por profissionais da área, em conjunto com oncologistas clínicos, levando em consideração o estilo de vida do paciente antes da doença e seus limites diante da nova realidade. Somente assim, ele se tornará seguro, eficaz e agradável. Em outras palavras, “a prática de atividades deve ser adaptada aos interesses e necessidades de cada um”, de acordo com a oncologista e dirigente da ONG Maple Tree Brasil, doutora Alice Francisco.

Sobre a Maple Tree Brasil

No Brasil, a sede da ONG está localizada em Sorocaba. Seu pilar é o acolhimento aos pacientes oncológicos em seu momento de maior vulnerabilidade. “Criamos programas de exercícios individualizados e gratuitos para ajudar as pessoas com câncer durante sua recuperação”, ressalta a doutora Gabriela Filgueiras Sales, oncologista e vice-diretora. “Também oferecemos orientação nutricional para aliviar alguns dos principais efeitos colaterais do tratamento do câncer. Nossa proposta é possibilitar ao paciente viver com qualidade.”

E mais: